Share
Músicos da avenida Paulista reclamam de fiscais da prefeitura

Músicos da avenida Paulista reclamam de fiscais da prefeitura

Músicos que tocam na avenida Paulista, área turística e comercial da região central de São Paulo, aos domingos, quando a via está fechada para o trânsito, estão sendo abordados por fiscais da prefeitura, sob gestão João Doria (PSDB), que exigem uma autorização para que trabalhem lá, acusam os profissionais.
A abordagem ocorreu nos últimos dois domingos, dizem. De acordo com os músicos, os fiscais contam com um veículo da Prefeitura Regional da Sé, que auxilia na remoção dos instrumentos.
“Eu estava tocando normalmente com a minha banda, como faço todos os domingos, quando chegou o fiscal e perguntou da autorização. Fiquei surpreso, juntamente com outros colegas. Nossos instrumentos não foram recolhidos, mas outros músicos não tiveram a mesma sorte”, afirmou o guitarrista Guilherme Mendonça, 34 anos, que toca blues.
“No meio da semana, fui até a Prefeitura Regional da Sé para saber do que se tratava, mas me informaram que essa autorização não existe”, contou o guitarrista Felipe Dias, 29 anos.
“Alguma coisa está acontecendo de errado, causando esta confusão. Muitos músicos estão deixando de ir à Paulista até que a situação seja esclarecida”, diz Dias.
O fechamento da avenida para os carros está dentro do programa Ruas Abertas, instituído em 2015.
Na Paulista, costuma haver grande presença de público, com a convivência entre músicos, artistas, esportistas e pessoas que só querem passear.

OUTRO LADO
A gestão João Doria (PSDB) afirmou que os fiscais trabalham para cumprir decreto que instituiu o programa Ruas Abertas.
A prefeitura argumenta que está prevista a fiscalização dos níveis de ruído e demais parâmetros de perturbação.
A gestão diz que há a necessidade de coibir bandas que incomodam frequentadores e moradores. Entretanto, os músicos afirmam que os fiscais não mencionam a questão do barulho e só pedem a autorização.

(Folhapress)
Foto: Adolfo Martins

Deixe seu Comentário