Share
Em leilão do Rodoanel, Alckmin defende reforma de Estado

Em leilão do Rodoanel, Alckmin defende reforma de Estado

“Cancelei minha ida a Davos porque não está cabendo na agenda tantas inaugurações”, brincou o governador Geraldo Alckmin, depois de anunciar uma sequência de eventos oficiais até o Carnaval. Pré-candidato à presidência pelo PSDB, Alckmin nega que o grande volume de inaugurações tenha relação com a disputa eleitoral.
Após a concessão do trecho norte do Rodoanel à iniciativa privada na tarde desta quarta-feira (10), o governador divulgou um novo leilão de concessão das linhas 5 e 17 do metrô de São Paulo para o dia 19.
Na agenda do mês também estão as entregas das estações Eucaliptos, da linha 5, e Higienópolis-Mackenzie, da linha 4 do metrô. Haverá ainda a abertura de licitação para Fundo Imobiliário do Estado e dos ônibus intermunicipais da Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado).
A privatização da Cesp (Companhia Energética de São Paulo) é outro projeto do governo que está em fase de finalização, assim como as obras da linha 15 do metrô.
Sobre o modelo de concessões, Alckmin destacou a necessidade de uma reforma de Estado, uma vez que o governo não tem recursos para arcar com tudo.
“Já fazemos [essa reforma] em São Paulo e acho que é necessário para o país. Há uma grande crise fiscal, diria mais: há uma bomba fiscal. É evidente que o governo não tem recursos para investir num país continental onde falta tudo em termos de infraestrutura e logística. Você tem que trazer recursos privados e para isso é preciso bons projetos”, afirmou, ao ser questionado se pretende colocar a proposta em prática se eleito presidente.

RODOANEL
O leilão do Rodoanel Norte foi vencido pela Ecorodovias, com lance de R$ 883 milhões, o que representa ágio de 90,97% em relação ao valor mínimo fixado pela outorga, de R$ 462,3 milhões, segundo a B3. A oferta da Atlantia foi de R$ 517,8 milhões.
O modelo de concessão inclui Wifi na rodovia, desconto de 5% no pedágio para motoristas que usarem chip eletrônico, além de iluminação do trecho, instalação de câmeras de vídeo conectadas ao detecta, serviço de atendimento ao usuário e segurança da Companhia do Rodoanel, com 246 policiais.
O investimento do Estado é de 2,2 bilhões e a previsão é que o primeiro trecho do Rodoanel Norte, que vai da rodovia Bandeirantes à Fernão Dias, seja entregue em julho.
Questionado sobre o atraso na entrega, prevista anteriormente para abril, o governador frisou que o Estado tem realizado o projeto praticamente sozinho. Em 2016, segundo Alckmin, o governo investiu R$ 1,5 bilhão na obra, enquanto o repasse da União foi de R$ 154 milhões, mas o tucano não vê nisso qualquer relação com a disputa eleitoral.
O trecho final da obra, da Fernão Dias ao aeroporto de Cumbica e até a rodovia Presidente Dutra, deve ser entregue entre outubro e novembro. O prazo depende de desapropriações ainda não concluídas em Arujá e Guarulhos.

NOVAS REGRAS
Para evitar fraudes nos processos de concessão, como a formação de cartéis denunciada no trecho Sul do Rodoanel, no ano passado o governo mudou a regra e deixou de exigir atestado técnico para que as empresas que desejam participar dos leilões de concessão. A exigência permanece apenas para as empresas executoras das obras. Dessa forma, o governo pretende ampliar a competitividade.
Outras medidas são a realização de licitação com a participação de empresas internacionais e apresentação da documentação em inglês e prazo maior para licitação.

(Folhapress)
Foto: Divulgação/Tucano.org

Deixe seu Comentário